sábado, 2 de setembro de 2017

VISITA GUIADA AO BORBOLETÁRIO



Começo este post com uma OBSERVAÇÃO 

sobre uma foto de minha autoria 

e, de seguida mostro as fotos que captei no Borboletário 

de São Domingos de Rana, propriedade da Câmara de Cascais. 

Como tem acontecido nas férias de outros anos lectivos, 

faço sempre os possíveis por levar os meus netos 

a passeios em que possam aprender algo 

e, este ano tinha na ideia esta "visita guiada" com eles. 

Finalmente aconteceu!




A visita começou com a teoria... 

qual a importância dos insectos, etc

e, logo ao início mostram-nos esta foto, 

de um tal André Karwath...

Porquê? pergunto eu...

Ok existem exemplos do que ele explica documentados 

com fotos e o nome de quem fez a foto... 

depois do que lá vi, tenho a certeza que a minha foto, 

a 1ª deste post, servia na perfeição 

para documentar aquilo que estava a ser explicado! 

Nunca irei perceber porque é que, em Portugal, 

usam e preferem fotos de "estrangeiros" 

quando cá também temos, 

quem faça fotos com o mesmo nível...

ou estarei enganada? 

... / ...

A visita estava marcada para o meio-dia! 

Várias pessoas entravam e saiam do Jardim 

onde as borboletas estão, pois é gratuito 

e no meio de duas dezenas de pessoas 

as únicas que estavam em visita-guiada 

éramos nós os três... os netos e eu! 

Paga-se 3,50€ 

e o moço andou 1 hora e meia connosco.





entrar no jardim e ver as borboletas voar 

de árvore em árvore nada ensina...

daí a minha escolha pela visita guiada e não me arrependi. 

Os meus netos ouviam e faziam perguntas, 

interessados que estavam... 

o meu neto recordou-se que já tinha aprendido 

na Escola sobre o "escaravelho do esterco"...








ainda na parte teórica ...
imagens de diversas espécies de borboletas, 
nunca tinha ouvido falar em borboleta-carnaval...

Mas, quando passamos para o Laboratório 

e nos sentamos a ver o que o moço mostrava,

 foi bem melhor... 

um prato cheio de lagartas esfomeadas; 

um prato cheio de borboletas congeladas; 

o meu neto ficou espantado, quando disse ao moço: 

elas estão no congelador?






uma surpresa - a borboleta-caveira...

o moço ia explicando apontando com a pinça verde 

Acheronthia atropos, da família Sphingidae é uma das maiores 

e mais pesadas borboletas que se conhece!

A explicação dos casulos e das crisálidas, tudo ao pormenor 

e nós escutando com atenção.





o meu neto estava impaciente quando passamos ao jardim, 

onde elas voavam e, não descansou 

enquanto não conseguiu que uma "monarca" 

lhe pousasse nos dedos... 

Ficou super feliz!



14 comentários:

  1. Uma crisálida
    (latim: chrysaliis, do grego χρυσαλλίς = chrysallís, plural: crisálidas),
    é o estágio de pupa de insetos da ordem lepidoptera.
    O termo é derivado da coloração metálico-dourada encontrada nas pupas de muitas borboletas
    (grego: χρυσός (chrysós) significa ouro).

    O estágio de crisálida em muitas borboletas é o único onde elas pouco se movem ou não o fazem.
    Entretanto, muitas pupas de borboletas são capazes de mover seus segmentos abdominais para produzir sons que possam afugentar potenciais predadores.
    Dentro das crisálidas ocorre o processo de crescimento e diferenciação sexual.
    As borboletas adultas emergem destas e expandem suas asas para bombear sangue pelas veias.
    Esta rápida e brusca mudança é chamada metamorfose.

    O mesmo processo ocorre com as mariposas,
    mas como às vezes a crisálida contem uma espécie de seda protetora, o casulo.

    Um outro termo para crisálida é aurélia do qual foi criado o termo aureliano,
    que designa quem estuda o processo de saída das borboletas das crisálidas.

    ResponderEliminar
  2. A borboleta-caveira (Acheronthia atropos), da família Sphingidae
    é uma das maiores e mais pesadas borboletas que se conhece.
    Na zona do tórax possui um desenho idêntico ao de uma caveira, daí o seu nome vulgar.

    Esta é uma espécie migratória que tem a sua origem em África migrando periodicamente até ao continente europeu.
    Esta borboleta gosta de calor e habita em vales baixos e locais soalheiros, não sendo muito fácil de encontrar uma vez que a sua maior atividade ocorre de madrugada.
    Voa de maio a setembro e apresenta duas gerações por ano.

    As Lagartas são inicialmente verdes, depois amarelas com riscas transversais azuis.
    Podem também ser castanhas-acinzentadas, manchadas de branco na zona dorsal perto da cabeça, mas sem as riscas transversais.
    Alimentam-se de uma grande variedade de plantas, entre as quais batateira, oliveira, Lantana camera, etc..

    No final do seu desenvolvimento a lagarta escava um buraco vários centímetros abaixo da superfície do solo, para aí se transformar em crisálida.
    Por vezes na colheita das batatas, é comum observar as grandes crisálidas de cor castanha avermelhada, que aparecem à superfície juntamente com as batatas.

    ResponderEliminar
  3. Na fase adulta e quando se sente ameaçada emite um som muito característico.

    Ao contrário da maioria das outras borboletas que sugam o néctar das flores,
    esta borboleta é também gulosa por mel.
    Está bem adaptada para invadir as colmeias de abelhas e sugar o mel
    diretamente do favo através da sua forte espirotrompa.

    Para isso, e para não ser atacada pelas abelhas emite o tal som que por algum tempo
    consegue tranquiliza-las.
    Quando as abelhas se apercebem da sua presença, a borboleta-caveira tenta defender-se mas por vezes cai, ficando agarrada ao mel e acabando por morrer.

    No canal do Youtube está disponível um vídeo polaco de Adam Grochovalsky onde é possível acompanhar o ciclo de vida desta espécie.

    ResponderEliminar
  4. É um esfingídeo uma borboleta nocturna ou traça.
    É a segunda maior borboleta nocturna da Europa medindo cerca de 13 cm de envergadura.

    O seu nome em latim é Acherontia que se refere a Achéron um dos rios do inferno da mitologia grega,
    e atropos que era uma das três divindades que personificavam o destino e que presidiam ao final da vida.

    O nome em português vem da tradução do inglês “Death's-head Hawkmoth” por causa do desenho em forma de caveira que apresenta no tórax.

    ResponderEliminar
  5. Esta espécie conheceu o seu estrelado em Hollywood

    depois de ter "entrado" no filme “silêncio dos inocentes”

    com Jodie Foster e Anthony Hopkins, filme que ganhou cinco dos principais óscares em 1992

    incluindo melhor filme e melhor atriz e ator principais.

    ResponderEliminar
  6. A foto que ilustra a entrada da exposição está fantástica, mas… e há sempre um mas… até eu próprio tenho fotos muito parecidas, que até já utilizei em exposições, pelo que – como dizes – muito me admira que não tenham utilizado uma foto de um autor português, pois muitos deles fazem trabalhos fantásticos nas várias áreas da fotografia e são muito mal considerados e muitas vezes nem são pagos.
    Até dos escaravelhos eu tenho fotos semelhantes às mencionadas, mas pronto, nem quero entrar por aí… quero, antes referir, que as tuas fotos – do que eu conheço do teu trabalho – poderiam ilustrar esta mostra, nomeadamente a que apanhaste com a borboleta no dedo do teu neto e a primeira foto do post de tua autoria, onde os o pormenor da focagem dos (penso) estames da flor estão em perfeita sintonia com a abelha. Ainda por cima, o branco das pétalas do jarro (?) funcionam muito bem num fundo escuro e desfocado.
    Como dizes, também não sei porque carga de água, não se deu oportunidade a um fotógrafo português – profissional ou amador – para ilustrar a mostra, porque de certeza haverá muitos que mereciam estar aqui. Cada vez me mentalizo mais que os lobbies têm mais força que o talento das pessoas. E lembro-me de uma exposição sobre a Arrábida que está no Museu de Arqueologia, em Setúbal, onde só foram convidados os amiguinhos, sendo que boa parte do que está exposto dificilmente se pode relacionar com a Arrábida. Os organizadores – que me conhecem muito bem – sabem que tenho milhares de fotografias da Arrábida, algumas boas (passe a imodéstia) e preferiram dar oportunidade a quem já tem nome firmado na praça e nem precisa de aparecer em detrimento de quem podia ter algo a ganhar pessoal e profissionalmente. E ainda tiveram o descaramento de me convidar para a inauguração (pois diziam que as minhas fotos da inauguração eram imprescindíveis!!!). É claro que eu disse que ia… mas não apareci nem faço ideia de alguma vez mais colaborar ou divulgar (que tantas vezes o tenho feito) eventos vindos dali. Isto que acabo de escrever pode ser divulgado, que não me importo!
    Em resumo, e para terminar, a fotografia – como outras artes – está entregue a meia dúzia de pessoas e amiguinhos, e nem é preciso ir muito longe: no Concurso Fotográfico anual da Moita (do qual não vou participar outra vez) e que tu já ganhaste várias vezes noutros tempos, nos últimos anos têm ganho sempre os mesmos, o que não deixa de ser estranho, embora a participação seja “sob pseudónimo”… e por aqui me fico!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OBRIGADO ALEX pela tua sincera opinião!

      Já temos conversado sobre isso, os dois
      só que desta vez quis trazer a PÚBLICO
      a minha opinião
      e que estou completamente em desacordo
      com o que PORTUGAL através dos seus ORGANISMOS continua a fazer
      e TODOS SE CALAM

      tristemente... irá ser sempre o mesmo
      tal como acontece em todas as outras áreas
      fogos, dinheiro dado para ajuda, etc

      Pois...
      muito me admira que não tenham utilizado uma foto de um autor português,
      muitos deles fazem trabalhos fantásticos nas várias áreas da fotografia
      e são muito mal considerados e muitas vezes nem são pagos.

      OBRIGADO pelos teus elogios:
      quero referir, que as tuas fotos – do que eu conheço do teu trabalho – poderiam ilustrar
      esta mostra, nomeadamente a que apanhaste com a borboleta no dedo do teu neto
      e a primeira foto do post de tua autoria,
      onde os o pormenor da focagem dos (penso) estames da flor
      estão em perfeita sintonia com a abelha.
      Ainda por cima, o branco das pétalas do jarro (?) funcionam muito bem num fundo escuro e desfocado.

      É ISSO...Como dizes, também não sei porque carga de água,
      não se deu oportunidade a um fotógrafo português – profissional ou amador – para ilustrar
      a mostra, porque de certeza haverá muitos que mereciam estar aqui.

      OS LOBBIES é o cancro da sociedade!!!

      SIM, os lobbies têm mais força que o talento das pessoas.

      Em resumo, e para terminar,
      a fotografia – como outras artes – está entregue a meia dúzia de pessoas e amiguinhos,
      e nem é preciso ir muito longe:
      no Concurso Fotográfico anual da Moita (do qual não vou participar outra vez)
      e que tu já ganhaste várias vezes noutros tempos,
      nos últimos anos têm ganho sempre os mesmos,
      o que não deixa de ser estranho, embora a participação seja “sob pseudónimo”…

      É O PAÍS QUE TEMOS e, nunca mudará!!!

      Eliminar
  7. Muito interessante esta visita ao Borboletário que aqui partilhou. Imagino como os seus netos devem ter gostado. E que bem que lhes faz ter assim um avó... Parabéns.
    A fotografia da sua autoria está linda.
    Um beijo, Amiga.

    ResponderEliminar
  8. Também já fui com a minha família a dois Borboletários e adorámos.
    A fotografia da borboleta no dedo do seu neto está linda!!!
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  9. Faz tempo que não visito os teus espaços, nem os de ninguém.... hoje dediquei um bocadinho e aqui estou e em boa hora o fiz pois, Adorei este teu post.
    Já me tinhas falado deste borboletário que eu desconheço completamente e com esta tua descrição quase o visitei.... aguçando a vontade de um dia lá ir.

    Quanto ás fotos, nomeadamente a tua 1ª está muito boa sim ! Mas a que mais gosto é mesmo a que ficou na mão do teu neto. Está linda !!
    É de lamentar que as pessoas simplesmente usufruam do que é grátis... eu sou adulta, já vi, como sabes, diversas borboletas no seu habitat e como tal quando posto uma foto vou estudar, mas tento nunca perder uma "aula" para assim enriquecer um pouco culturalmente.

    Sabes que já vi e fotografei uma carnaval ... é linda :)

    Beijinhos e parabéns pelo post

    ResponderEliminar
  10. Não consegui ver as primeiras fotografias e algumas das outras também não, gostei muito do que pude ver e da descrição de como foi a visita
    um beijinho e bom fim-de-semana
    Gábi

    ResponderEliminar
  11. Voltei a insistir e consegui ver todas, são lindíssimas!

    ResponderEliminar
  12. Sobre a opinião, gostei mais da primeira fotografia do que da segunda (voltei lá acima para olhar de novo para as duas)

    ResponderEliminar