domingo, 2 de dezembro de 2018

COMPLEXO ARQUITECTÓNICO E ETNOGRÁFICO ETARA





Depois de sairmos de Plovdiv, 

seguimos em direcção a ETARA, 

mas no caminho passamos por KAZANLAK onde existe 

um Túmulo Trácio em forma de "colmeia" abobadada de tijolos. 

O túmulo faz parte de uma Necrópole Trácia. 

O monumento data de antes do século IV 

e está protegido pela UNESCO 

como Património Mundial desde 1979.

Algumas pessoas subiram esse caminho de escadas 

e foram ver, eu não fui pois eram muitos degraus 

e eu estava com dores num joelho.




Foi uma visita breve de alguns minutos e logo,

seguimos em direcção a ETARA para visitar 

o "Complexo Arquitectónico e Etnográfico" 

- um museu ao ar livre, no norte da Bulgária; 

no extremo norte do Parque natural BULGARKA 

entre o parque e a cidade de Gabrovo.







Começaram a construção em 1963 

e foi inaugurado em 1964. 

Lá podemos ver a cultura, os costumes 

e ofícios do povo búlgaro;

Profissões antigas, preservadas neste museu ao ar livre. 

Que maravilha, ali no meio da Natureza. 






A água corre pelas montanhas e ali cai numa bela cascata!






O museu tem cerca de 50 atracções, 

como as casas com oficinas de artesanato, 

instalações de água, roda de água e abriga uma 

colecção exclusiva da Bulgária, de ferramentas técnicas. 

Tudo isto no meio da bela Natureza, uma delícia estar ali 

a ouvir o som da água que corre nos riachos, 

o cantar dos passarinhos.







Numa das ruas podemos ver umas 20 casas, 

réplicas exactas de edifícios antigos de locais da região 

e, também casas com dois pisos, janelas de sacada 

e uma torre de relógio que tocou as horas quando lá estava 

que bem ouvi e, andei à procura de onde vinha aquele som...





12 comentários:

  1. Kazanluk ou Kazanlăk (búlgaro: Казанлък)
    é uma cidade da Bulgária localizada no distrito de Stara Zagora.

    O Túmulo Trácio de Kazanluk é uma tumba em formato de "colmeia" abobadada de tijolos próxima à cidade de Kazanluk na Bulgária.
    A tumba é parte de uma grande necrópole Trácia.

    Compreende um corredor estreito e uma câmara mortuária circular, ambas decoradas com murais representando trácios num ritual funerário.
    O monumento data de antes do século IV e está protegido pela UNESCO como Patrimônio Mundial desde 1979.

    As paredes são memoráveis pelos esplêndidos cavalos e especialmente pelos gestos de adeus,
    nos quais uma dupla sentada segura o pulso um do outro num momento de ternura e igualdade.
    As pinturas são as obras artísticas búlgaras mais preservadas do período Helenista.

    A mulher sentada nas paredes está representada no reverso da moeda búlgara de 50 stotinkas, de 2005.

    A tumba está situada perto da antiga capital trácia de Seuthopolis.

    ResponderEliminar
  2. A cerca de uns 8 quilômetros da cidade de Gabrovo está o museu ao ar livre Etara,
    um complexo etnográfico e arquitetônico, cuja construção foi iniciada em 1963,
    na área já existente de Karadzheyka, que data de 1780 e cuja finalidade é mostrar a arquitetura
    e estilo de vida de Gabrovo e sua região na segunda metade do século XVIII e início do século XIX.

    O local tem cerca de 50 atrações, como as casas com oficinas de artesanato, instalações de água,
    roda d´água e abriga uma coleção exclusiva da Bulgária de ferramentas técnicas que funcionam com água,
    como, por exemplo, os monjolos.
    Os visitantes podem observar o trabalho dos artesãos preparando sinos forjados a fogo,
    trabalhando a cerâmica, fazendo esculturas em madeira,
    confeccionando produtos de confeitaria, vasos de cobre e outros.

    E ainda se pode adquirir o o produto que acaba de ser finalizado diante de nossos olhos.

    O local é visitado durante o ano todo, por turistas de vários lugares do mundo.

    Para mim, foi um pouco cansativo percorrer todo o complexo,
    mesmo estando com um calçado confortável e sendo um dia bastante aprazível.

    ResponderEliminar
  3. Adorei as fotos, os detalhes relatados e tão bom ver valorizar as antigas profissões. Muito lindo teu post! Gostei! beijos, chica

    ResponderEliminar
  4. Pena não teres ido ver, mas de qualquer maneira, o conteúdo e a informação está toda no teu post, mais uma excelente reportagem, de fazer inveja - podes crer - a muito jornalista ou viajante.

    Há pessoas que também viajam muito mas depois não sabem descrever os locais por onde passaram nem registam fotograficamente pontos e locais onde com certeza nunca mais irão passar. E até há pessoas que viajam sem levarem máquina para fotografar, com receio de serem assaltados ou para não andarem carregados. Mas a verdade é que o telemóvel - embora já tirem excelentes fotos - nunca substitui uma máquina - nem que seja compacta - pois por enquanto os telemóveis ainda não têm os zooms que qualquer máquina tem.

    E ao lermos os teus escritos - adornados com as respectivas imagens - sente-se que parece que estamos numa caminhada ou numa visita guiada. E se bem que havia um objectivo final a verdade é que foste registando tudo o que era (é) importante para perceber as vivências dos locais. E aquelas chouriças são bem "portuguesas", se calhar não há assim tantas diferenças entre os dois países mais antigos da Europa.

    Talvez uma das maiores diferenças seja mesmo o idioma, porque o número de habitantes, o tamanho do país e a pobreza que cada ostentou (e que de certo modo ainda ostentam) são muitas semelhanças entre países de geografias opostas na Europa. Até porque há semelhanças paisagísticas e etnográficas. Aquelas pontes - diferentes uma da outra, claro, são uma delícia. E depois outra coisa que me seduz é o haver pouca gente... detesto turismo de massas, pode ser bom para a economia mas não me atrai. Preferia muitas vezes visitar cidadezinhas destas que as grandes cidades da Europa...

    ResponderEliminar
  5. Estas viagens virtuais também fazem bem à alma.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
  6. Magnífica reportagem deste museu ao ar livre. Obrigada.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Bonitas fotos. Obrigada pelo belo passeio virtual que me proporcionou.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  8. Um lugar incrível, que eu desconhecia por completo!...
    Mais uma vez, estou viajando através das suas imagens, Tulipa!...
    O cenário fresco e verdejante, é absolutamente mágico... e as réplicas dos edifícios antigos... são um puro fascínio, para se apreciar ao pormenor!
    Como sempre, uma extraordinária partilha... com um belíssimo suporte informativo!
    Beijinhos! Continuação de uma feliz semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Que fotos elucidativas....Adorei
    Venho desejar um Santo Natal e Boas Festas.
    Tudo de bom.
    Beijo

    ResponderEliminar
  10. Minha querida Amiga, que tenha um Natal cheio de Amor e que o Novo Ano lhe traga tudo o que deseja.
    Boas Festas!
    Um beijo.

    ResponderEliminar