quinta-feira, 8 de junho de 2017

CANGAS DE ONIS



Pela segunda vez visitei "CANGAS DE ONIS" 

para quem chega de autocarro em excursões 

entra por este lado, e normalmente passa esta ponte,

que atravessa o Rio Sella.




só que, da outra vez, ninguém acompanhou o grupo 

e fomos ao calhas, perguntando onde ficava a famosa ponte

... desta vez foi muito diferente, 

com um Guia fabuloso, muito responsável e profissional, 

que nos acompanhou sempre e levou-nos por um caminho 

bem mais interessante junto ao rio

... passamos por este lugar, que um morador nos disse 

ser um local onde se fazem festas de casamentos 

onde não podia faltar os típicos hórreos (espigueiros)

 que fazem parte da paisagem asturiana!





encontramos outra ponte, esta toda em madeira, 

que também cruza o rio Sella, 

em direcção a uma zona verde muito simpática

 e onde vimos outro hórreo





aqui está a famosa ponte, o ex-libris de Cangas de Onis

apesar do nome "Ponte Romana" ela é medieval e não romana 

e, bem ao centro a "Cruz da Vitória" 

uma cruz gemada do pré-românico asturiano







aqui o edifício do Ayuntamento, ou seja, 

a Câmara Municipal de Cangas de Onis 

e voltamos novamente à ponte (aqui vista de outra perspectiva) 

que nos leva até ao Centro de Camionagem 

onde nos espera o nosso simpático motorista, 

para continuarmos a viagem.


11 comentários:

  1. O melhor é ir de carro, até porque a viagem entre Lisboa e o norte de Espanha é simples.

    O melhor caminho é ir directo a Salamanca via A1 até ao nó de Torres Novas, A23
    até à Guarda e IP5 até Vilar Formoso.

    Em Salamanca, siga para norte na direcção de Léon e daí para Oviedo, prosseguindo por Gigón (A8) ou pelas estradas nacionais 452 e 440 até Cangas de Onis.

    Mas também pode optar pelo percurso mais longo (mas mais turístico):
    Porto, Vigo, Santiago de Compostela, Corunha e daqui percorrer todo o litoral até Gijón.

    A viagem por estradas sinuosas, mas em bom estado, oferece deslumbrantes paisagens de pequenas povoações e escarpas abruptas direitas ao imenso mar azul.

    O Inverno é rigoroso, mas o espectáculo das altas montanhas cobertas de neve é soberbo.

    No entanto, o risco de não poder percorrer alguns dos percursos devido ao mau tempo e do nevoeiro ofuscar o brilho da paisagem justificam o planeamento da viagem para os meses de Primavera e Verão.

    Foi a minha escolha PRIMAVERA.

    ResponderEliminar

  2. O clima é mais ameno nesta ocasião, mas as temperaturas nunca sobem muito, arriscando-se mesmo alguns chuviscos em plena época estival.

    O Parque Natural estende-se pelo Principado das Astúrias e pelas Comunidades Autónomas de Cantábria e Castela e Leão, abrangendo a totalidade do maciço dos Picos da Europa e parte da Cordilheira Cantábrica.

    Divide-se em três zonas distintas, separadas por vales e rios:
    o Maciço Ocidental, com o Rio Sella a oeste e Cares a este e a que se acede por Cangas de Onís;
    o Maciço Central, que vai da Garganta do Cares ao vale do Duje, com acesso desde Cabrales;
    e o Maciço Oriental, entre Duje e Deva e a que se chega pela estrada de Panes.

    No Ocidental, é imprescindível visitar Cangas de Onís
    (convém chegar a um domingo para desfrutar do tradicional mercado, onde se vendem queijos artesanais da região), uma localidade com antigos pergaminhos que é também um bom ponto de partida para percorrer o interior, dominado pela majestosa silhueta dos Picos da Europa.

    Se visitar a região em Agosto, pode descer o rio Sella de canoa, um dos maiores eventos europeus a este nível.

    ResponderEliminar

  3. A Cruz da Vitória (em castelhano: Cruz de la Victoria) é uma cruz gemada do pré-românico asturiano,
    guardada na Câmara Santa da Catedral de São Salvador de Oviedo,
    que se converteu no símbolo do Reino das Astúriase, mais tarde, do Principado das Astúrias.

    Trata-se de uma cruz latina, em madeira de carvalho, revestida a ouro e pedras preciosas.
    TEm os braços ensanchados nos extremos e um pequeno relicário na união ao centro.
    Foi feita por artesãos procedentes do reino franco durante o reinado de Afonso III das Astúrias, quem terá ordenado a sua elaboração nos primórdios do século X como doação à Catedral de São Salvador de Oviedo, como nos dizem as inscrições no verso da cruz, juntamente com a inscrição em latim:
    «HOC SIGNO TVETVR PIVS. HOC SIGNO VINCITVR INMICVS»
    (trad: "Com este sinal o piedoso é protegido. Com este sinal o inimigo é vencido").

    Segundo a lenda, esta é a cruz que Pelágio das Astúrias levou consigo na batalha de Covadonga.
    O alfa e o ômega são a primeira e a última letras do alfabeto grego e simbolizam o princípio e o fim.

    ResponderEliminar
  4. Sempre disse 'Canas de Onis', foi preciso ver o teu post para ficar a saber o termo exacto. Obrigado. Se não soubesse que aquilo que as tuas fotos ilustram era aqui tão perto, diria que isto ficava num país onde se dá mais importância à arquitectura e à paisagem. É caso para dizer: "e Espanha aqui tão perto" e com coisas tão fantásticas para se ver. A julgar pelas tuas fotos, acompanhadas de texto elucidativo e informativo, deixam-me com vontade de lá dar um salto... afinal, nem é tão longe assim...

    ResponderEliminar
  5. Uma belíssima reportagem de viagem de férias.
    Nunca fui a Cangas, mas com o teu post fiquei com vontade (e não é assim tão longe).
    Bom fim de semana, amiga Tulipa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde, lindo passeio bem apresentados pelas maravilhosas fotos que motiva para visitar Cangas.
    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
  7. É bom percorrer consigo estes magníficos lugares. Obrigada.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Lindas as fotos e muito bom o texto.
    Neste espaço tivemos sempre juntas e eu não vi o monumento ao salmão.. distraí-me com outra coisa, decerto. É normal haver nesse local um monumento ao salmão, diz-se que o Rei D. Carlos, praticava a pesca do mesmo, numa zona entre Cangas e Oseja de Sejambre, muito bonito por sinal.
    Excelente post .
    Beijinho e boa noite.

    ResponderEliminar
  9. Really lovely photos indeed. Greetings!

    ResponderEliminar
  10. Que local lindo!!!
    Adorei principalmente a Ponte Romana com a cruz.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  11. Essa ponte romana e o Parador, que maravilha, mais além duma boa "fabada" regada com "sidra".
    Asturias possui tudo de bom.
    Abraços de vida, querida amiga

    ResponderEliminar